sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A Síndrome do Coração Partido - Sofrer por amor, pode fazer mal a saúde!




Quem nunca falou que estava de coração partido depois de terminar um relacionamento ou viver uma decepção amorosa? Mais do que trazer angústia, sofrer por amor pode fazer mal à sua saúde. Conhecida como Síndrome do Coração Partido, a doença afeta o sistema cardiovascular de pessoas que vivem um longo período de tristeza. Dor no peito e taquicardia ao pensar no ser amado são os principais sintomas que caracterizam o distúrbio. De acordo com a cardiologista Ana Camarozano, o fator emocional tem grande influência no funcionamento do coração. A especialista acredita que a ansiedade, a depressão e o estresse causados pelo fim de uma relação amorosa podem prejudicar a saúde cardíaca. "É possível que a Síndrome evolua para o surgimento de uma arritmia cardíaca e até cause o infarto, especialmente em pacientes que têm histórico na família ou tenham predisposição a problemas cardíacos", alerta a médica. Por outro lado, guardar emoções como ódio, rancor ou mágoa reflete negativamente no organismo, permitindo que os órgãos do corpo liberem grande quantidade de hormônios como cortisol ou adrenalina, que produzidos em um nível elevado podem ser prejudiciais. Além disso, o armazenamento de sentimentos ruins contribui com a redução da produção de substâncias benéficas ao organismo e que trazem sensação de bem-estar, como a serotonina. "Esse desequilíbrio na produção hormonal pode interferir no funcionamento cardiovascular, prejudicando a saúde das pessoas", explica a especialista.(texto retirado do site Personare: http://www.personare.com.br/revista/amor/materia/960/sofrer-por-amor-faz-mal-ao-coracao#[close])


A luz de cor Rosa, aplicada na região do chakra cardíaco (Anahata Chakra), 5 minutos por dia, nos ajuda a aliviar essa dor, promovendo um bem estar profundo, melhorando nossa auto-estima, e nos levando a perdoar a situação, para que possamos prosseguir na vida com amor e harmonia. Rosa é a cor do Amor Incondicional.


Procure sempre um terapeuta para que possa melhor indicar.


Veja também uma sugestão de Florais de Bach, para esse momento tão delicado da vida. Clique aqui.


Sandra Baptista
Terapeuta - Cromoterapia e Florais de Bach

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Cromoterapia & Musicoterapia




Cada som emite uma certa cor e assume uma forma definida. Tivemos oportunidade de ter visto recentemente na televisão, quando as cores emanadas da música aparecem na tela.
Qualquer forma tem também um som associado que é sua nota-chave. Toda coisa criada de uma molécula a um homem e de um planeta ao sistema solar, possui sua nota-chave. A soma total dessas notas compõe a música das esferas.
Tudo pulsa segundo um ritmo definido, inclusive o próprio universo por onde circula o Sol; os próprios planetas também têm suas notas.
Flores, árvores e relva têm seu próprio som sinfônico. De fato, um instrumento muito delicado desenvolvido na Alemanha permite que se ouça o som da relva crescendo. Os ventos e as ondas têm seu próprio ritmo e os ritmos combinados constituem a nota-chave do planeta. Do mesmo modo que os órgãos do ser humano, emitem suas próprias notas e conformam a nota fundamental do planeta.
Os órgãos do homem também emitem suas notas e em seu conjunto perfazem a nota vital fundamental do indivíduo.
Max Heindel, grande ocultista alemão, disse que em boa saúde, o corpo etérico emite um zumbido semelhante ao da mamangaba.
Como cada objeto tem sua nota fundamental e a mistura geral de cores, fica bastante claro porque ao entrar numa sala uma pessoa é imediatamente atraída por outra e repelida por uma terceira antes mesmo que uma palavra dita.
Quando as notas-chaves e as cores se harmonizam, há compreensão e afinidade. Quando isto não acontece, os nervos são tensionados e costuma-se dizer que a situação "dá nos nervos".
Há sete centros ou luzes musicais que correspondem aos sete chakras e à música heptatonal.
A música contribui para desenvolver estes centros ou luzes musicais que correspondem aos sete chakras e à música heptatonal.
A música contribui para desenvolver estes centros gradualmente e capacita-os a desenvolver seus poderes, de modo que os chakras visíveis ao clarividente emitem cores belíssimas como se girassem continuamente.
O valor terapêutico da música foi reconhecido desde os tempos mais primitivos. Paracelso, por exemplo, um vidente e terapeuta, prescrevia certas composições para curar certas moléstias e praticou a Musicoterapia.
Hoje o poder de emoções discordantes que podem rápida ou lentamente destruir o corpo físico é muito melhor compreendido. A cura é buscada não no tratamento dos sintomas, mas dirigida à sede da desarmonia nos corpos sutis, onde agentes terapêuticos como música, cor, radiônica, medicamentos homeopáticos e os remédios de Bach, podem restabelecer totalmente o homem.

fonte: ANDERSON, Mary. Cromoterapia

Influências gerais da cor


A cor ocupa grande parte de nossas vidas. A natureza nos proporciona constantemente variados matizes. Um brilhante céu azul pode elevar nosso espirito e um céu escuro e nublado podem fazer-nos sentir deprimidos e desenergizados.
A radição solar traz alegria a muitos de nós. Cada estação do ano tem diferentes tons. Não preciso falar deles, todos tivemos contato com esses fatos segundo nosso ponto de vista. Quando o céu está claro à noite e a lua é cheia, muita gente se sente influenciada, favorável ou desfavoravelmente por isto.
Tudo tem um certa frequência de vibração e isto se aplica a todos os órgãos do corpo humano. Se ocorre quaquer desvio da vibração normal, tem-se um índice de que o órgão não está funcionando adequadamente.
[...] A tarefa do terapeuta é localizar as vibrações defeituosas do corpo e restaurá-las à saúde normal.
Fadiga, tensão, estresse, medo e todas emoções negativas são prejudiciais, perturbando as vibrações saudáveis.
A cor é uma vibração pura e quando usada na tonalidade certa e focalizada no lugar certo, pode corrigir o problema e reconduzir o corpo à saúde.

fonte: ANDERSON, Mary. Cromoterapia.

Seja bem- vindo ao Mundo da Luz!